quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

De frente para o sol



" Volta teu rosto sempre na direcção do sol e então as sombras

ficarão para trás. "

Marta Pessanha





O sol aqueceu a minha pele pela primeira vez este ano,
seus raios deixaram em mim o sabor de primavera,
para desabrochar a qualquer momento,
quando o vermelho se unir com o rosa,
no meu jardim interno nesse momento de alegria inebriante
onde no meu intimo só o sol mais doce e quente penetrará!

Marta Pessanha

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

À descoberta do amor

KATIKA



À DESCOBERTA DO AMOR

Ensaia um sorriso
e oferece-o a quem não teve nenhum.
Agarra um raio de sol
e desprende-o onde houver noite.
Descobre uma nascente
e nela limpa quem vive na lama.
Toma uma lágrima
e pousa-a em quem nunca chorou.
Ganha coragem
e dá-a a quem não sabe lutar.
Inventa a vida
e conta-a a quem nada compreende.
Enche-te de esperança
e vive á sua luz.
Enriquece-te de bondade
e oferece-a a quem não sabe dar.
Vive com amor
e fá-lo conhecer ao Mundo.

Mahatma Gandhi

Videos Sankalpa Band: Dia do Yôga SP 2011











segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Retorno ancestral...


FOTOS KATIKA

"Amor e sinceridade tocam as pessoas, são lançadas no Cosmos e, inevitável e desinteressadamente retornarão a você nas mais diferentes formas."

Fábio Euksuzian


Livro Ancestral Arte da Poesia - Fábio Euksuzian

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

O segredo da felicidade

KATIKA

O segredo da felicidade é que ela dependa somente de nós.
É não deixar as amarras da ausência e da indiferença limitar-nos a essência.
É ser maior do que o vazio que nos espera quando julgaríamos encontrar um sorriso.
A felicidade é olhar o céu azul e uma flor brotar em pleno coração,
sentindo a Primavera sempre no íntimo.
É olhar em volta e inspirar profundo a brisa marítima,
falar a mesma língua das cores, dos contrastes,
do sol e da chuva, ouvindo e vendo particularidades que para a maioria não estão lá.

Marco Santos

blogue Palavrejar

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Dentro e fora

KATIKA

Saudade dos amigos que não estão perto...
do carinho distante,
do olhar que já não olha,
da mão que já não sente,
das palavras que já não ouve,
do momento que não se repete,
há pessoas que ficam dentro e deixam de ficar por fora...

Marta Pessanha

feliz pelos que continuam dentro e fora

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Trilha da Prática - YS



II-1
Auto-superação, auto-estudo e auto-entrega, constituem o Kriyá Yôga

II-2
Essas observâncias também ajudam a atenuar os obstáculos para atingir o samádhi.

II-3
Os obstáculos são: a incultura, o egotismo, a exaltação das paixões, a aversão injustificada e o excessivo apego à vida.

II-4
A incultura é o campo onde nascem os demais obstáculos, acima citados, quer estejam eles adormecidos, atenuados, reprimidos ou ativos.

II-5
A incultura consiste em supor perenidade no perecível, pureza no impuro, felicidade na dor, ser no não-ser.

II-6
Egotismo é quando se confunde o poder do Vedor com o poder ver.

II-7
A paixão deriva do prazer.

II-8
A aversão deriva da dor.

II-9
O apego à vida é natural e está presente até no sábio.

II-10
Estes obstáculos podem ser sutilizados e eliminados.

II-11
A meditação elimina tais vrttis.


Yôga Sútra de Patañjali - DeRose

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

O meu infinito particular...



Eis o melhor e o pior de mim
O meu termômetro, o meu quilate
Vem, cara, me retrate
Não é impossível
Eu não sou difícil de ler
Faça sua parte
Eu sou daqui, eu não sou de Marte
Vem, cara, me repara
Não vê, tá na cara, sou porta bandeira de mim
Só não se perca ao entrar
No meu infinito particular
Em alguns instantes
Sou pequenina e também gigante
Vem, cara, se declara
O mundo é portátil
Pra quem não tem nada a esconder
Olha minha cara
É só mistério, não tem segredo
Vem cá, não tenha medo
A água é potável
Daqui você pode beber
Só não se perca ao entrar
No meu infinito particular

Marisa Monte

Shaktí


Cabelos de trigo ondulam no ar, libertando um perfume que inebria.
O olhar que nos dirige transmite vida, energia contagiante.
De sorriso branco, aberto e sincero, inflama-nos o coração, alegra-nos a existência.
Bela, toda ela flui com movimentos graciosos, felinos, sensuais.
A alva pele, pura, relembra os deuses do Olimpo.

Marco Santos

Blogue Palavrejar


Obrigada Marquinho pelas palavras lindas e doces...beijinhos