quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

A Shaktí e os quatro elementos


A SHAKTÍ

O termo shaktí significa energia. Por extensão, designa a companheira tântrica, que pode ser esposa, amante ou amiga. Dependendo do uso na frase, pode também referir-se à kundaliní ou, ainda, à Mãe Divina.

No Tantra, aprendemos um conceito muito bonito, segundo o qual Shiva sem Shaktí é shava. Isto é, "o homem sem a mulher é um cadáver". Shiva é o arquétipo masculino, que deve ser catalisado pela Shaktí, arquétipo feminino. Veja como é interessante: a mulher, quando companheira, denomina-se Shaktí, que significa literalmente energia. É aquela que energiza, que faz acontecer.

Sem a mulher, o homem não evolui na senda tântrica. Nem a mulher sem o homem. É preciso que tenhamos os dois pólos. Podemos fazer passar qualquer quantidade de eletricidade por um fio e ainda assim a luz não se acenderá, a menos que haja um pólo positivo e outro negativo, um masculino e outro feminino. Assim é nas práticas tântricas.


AS SHAKTÍS DOS QUATRO ELEMENTOS
Nossa Escola reconhece quatro tipos de parceiras, correspondentes aos elementos terra, água, ar e fogo.
Prithiví Shaktí (energia da terra) – inerte como a terra: é o tipo de parceira que não tem muita energia sexual ou que não tem disposição suficiente, ou que tem alguma disfunção orgânica ou psicológica, incluindo-se aqui tanto as frígidas quanto as que manifestam baixa necessidade de sexo e, ainda, as muito reprimidas.
Apas Shaktí (energia da água) – passiva, que se acomoda com o formato do recipiente: é o tipo de companheira que tem razoável disposição, mas que não toma muita iniciativa e poderá até conseguir uma ótima performance desde que o homem conduza e domine a situação. Se o homem não estiver a fim de sexo, ou se não estiver a fim dela, ou se estiver cansado, ela simplesmente não fará nada para reverter essa situação. Noutras palavras, se o homem estiver com ereção eles irão ter um contato sexual; se ele não tiver uma ereção ela simplesmente não saberá o que fazer; ou não quererá fazê-lo; ou será muito reprimida para tanto. É praticamente uma mulher-objeto.
Vayu Shaktí (energia do ar) – ativa, livre como o ar: é o tipo de mulher que tem ótima sexualidade e toma a iniciativa. Se o homem não estiver a fim de sexo, ou não estiver a fim dela, ou estiver cansado, ela simplesmente reverte a situação através dos mais diversos artifícios, desde um olhar flamejante, um sorriso cativante, uma carinha graciosa, um dengo, uma palavra, um tom de voz, cabelos, roupas ou adereços sedutores, carícias, expressão corporal e o que mais for necessário.
Agni Shaktí (energia do fogo) – fulgurante como o fogo: é muito semelhante ao tipo anterior, com uma sutil diferença. Ela não dependerá da ereção dele e conseguirá extrair prazer de praticamente qualquer parte do corpo do homem, independentemente da sua participação. Ela fará a festa mesmo que o parceiro esteja dormindo ou morto – e acordará até defunto. É a super-parceira, que todo homem quer ter. Mas se você é mulher e está lendo estas linhas, cuide para ter o bom-senso de respeitar os limites. Seduzir, sempre; invadir, jamais! Aliás, esta norma de boas maneiras serve para ambos.

2 comentários:

Anónimo disse...

Mahá Shaktí
Na nossa tradição, reconhecemos um tipo especial de Agni Shaktí, denominada Mahá Shaktí - a Grande Shaktí, a Grande Energia, ou a Grande Deusa. Somos sempre gratos à Mahá Shaktí pelo impulso evolutivo que ela nos proporciona e a reverenciamos com extremo carinho e respeito.
...
Ela tem uma sensibilidade acima da média e torna tudo o que faz lindo, sutil, natural e espontâneo.
...
Tantra, a Sexualidade Sacralizada. DeRose

pimentinha37 disse...

Anónimo, já estava a preparar para responder o mesmo.. :)
Bom texto Shaktí Martinha! Faltou mesmo só essa parte, da Maha Shaktí :)
Beijooooooo