sábado, 4 de abril de 2009

Código de Ética do Yôgin 2ª


CODIGO DE ÉTICA DO YÔGIN

Elaborado pelo Mestre DeRose inspirado no Yôga Sútra de Pátañjali

II. SATYA

. A segunda norma ética do Yõga é satya, a verdade.
. o yôgin não deve fazer uso da inverdade, seja ela na forma de mentira, seja na forma de equivoco ou distorção na interpretação de um facto, seja na de omissão perante uma dessas duas circunstâncias.
. Consequentemente, ouvir boatos e deixar que sejam divulgados é tão grave quanto passá-los adiante.
. O boato mais grave é aquele que foi gerado com boa-fé, por falta de atenção à fidelidade do facto comentado, já que uma inverdade dita sem más intenções tem mais credibilidade.
. Emitir comentários sem o respaldo da verdade, sobre factos ou pessoas, expressa inobservância à norma ética.
. Praticar ou transmitir uma versão inautêntica de Yôga constitui exercício da inverdade.
. Exercer o ofício de instrutor de Yôga sem ter formação específica, sem habilitação mediante avaliação de autoridade competente ou sem a autorização do seu Mestre, constitui acto ilegítimo.
Preceito moderador:
A observância de satya não deve induzir à falta de tato ou de caridade, sob o pretexto de ter que dizer sempre a verdade. Há muitas formas de expressar a verdade.

Livro Tratado de Yôga - Mestre DeRose
...continua...

Sem comentários: