quinta-feira, 2 de abril de 2009

Código de Ética do Yôgin 1ª


Elaborado pelo Mestre DeRose e inspirado no Yôga Sútra de Pátañjali.

I. AHIMSÁ

. A primeira norma ética milenar do Yôga é o ahimsá, a não agressão. Deve ser entendido lato sensu.

. O ser humano não deve agredir gratuitamente outro ser humano, nem os animais, nem a natureza em geral.

. Não deve agredir fisicamente, nem por palavras, atitudes ou pensamentos.

. Permitir que se perpetre uma agressão, podendo impedi-la e não o fazendo, é acumpliciar-se no mesmo ato.

. Derramar o sangue dos animais ou infringir-lhes sofrimento para alimentar-se de suas carnes mortas constitui barbárie indigna de uma pessoa sensível.

. Ouvir uma acusação ou difamação e não advogar em defesa do acusado indefeso por ausência constitui confissão de conivência.

. Mais grave é a agressão por palavras, atitudes ou pensamentos cometida contra um outro praticante de Yôga.

. Inescusável é dirigir tal conduta contra um professor de Yôga.

. Sumamente condenável seria, se um procedimento hostil fosse perpetrado por um professor contra um dos seus pares.

Preceito moderador:

A observância de ahimsá não deve induzir à passividade. O yôgin não pode ser passivo. Deve defender energicamente os seus direitos e aquilo em que acredita.

Livro Tratado de Yôga do Mestre DeRose
nos próximos dias há mais ;D

4 comentários:

Joaninha disse...

Sábias palavras!

Os teus gatinhos são maravilhosos.

Um grande beijinho!

Martinha disse...

São duas meninas Joaninha.

beijinhos

Anónimo disse...

Haverá coisa mais deslumbrante na vida do que esta partilha de saberes emprestados?
Em Mashonaland (África), na àrea que se diz ser o "berço" da humanidade, "ahimsá" é uma filosofia pilar de vida, que nos abraça num sentir, diria, "uterino".

António Mateus

aalves disse...

Fico á espera de mais Martinha com um sorriso daqueles que só voces me arracam e um beijo como só tu dás!